A Igreja Católica está vivendo o momento mais importante de seu calendário litúrgico, a Semana Santa, onde se celebram a paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. O momento iniciou no Domingo de Ramos, que relembra a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém e termina com a ressurreição de Jesus, que ocorre no domingo de Páscoa, próximo dia 4 de abril.

A programação que iniciou no domingo (28), com a Celebração de Ramos, segue com Celebração Penitencial, Missa do Crisma, Missa da Ceia do Senhor, Sermão das Sete Palavras, Litúrgica da Paixão do Senhor, Vigília Pascal e Missa de Páscoa.

Todas as paróquias da Arquidiocese de Belém adotam protocolos de saúde para que se viva bem a Semana Santa, dentro das condições impostas pelas autoridades de saúde e sanitária em combate a Covid-19. As medidas vão desde o controle de acesso, limitação da quantidade de pessoas por ambiente até a suspensão de público no Sermão das Sete Palavras e na Celebração do Crisma.

Para que todos possam participar, as celebrações serão transmitidas pelos meios de comunicação da Arquidiocese (TV Nazaré canal 30.1 e Rádio Nazaré 91.3 FM), bem como as redes sociais Facebook https://bit.ly/FacebookFNC e Youtube http://bit.ly/TVNazareYoutube, e as redes sociais da paróquias.

PROGRAMAÇÃO

Quarta-feira (31)

  • Celebração Penitencial (absolvição comunitária) – Ocorrerá em todas as paróquias de acordo com horário próprio. O Sacramento da Penitência comunitário ocorre em celebrações específicas, como é o caso em que vivemos agora, em que há necessidade de restringir o excesso e circulação de pessoas.

Durante a celebração, haverá uma preparação conjunta para confissão, mas cada fiel fará em silêncio o exame de consciência dos seus pecados e o padre fará absolvição geral para os presentes.

Quinta-feira, 1º de abril

  • Missa do Crisma (Santos Óleos) – A celebração será presidida pelo Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa e concelebrada pelo Bispo Auxiliar, Dom Antônio de Assis Ribeiro, os sacerdotes e diáconos da Arquidiocese, às 8h, direto da Catedral Metropolitana, com transmissão ao vivo pela TV Nazaré e Redes Sociaissem a participação de fiéis.

Nesta celebração ocorrem dois momentos importantes: a renovação dos compromissos sacerdotais e bênção dos Santos Óleos, por isso também a santa missa é dita Missa dos Óleos Santos. No momento os presbíteros (padres) reafirmam, perante o arcebispo e assembleia, os seus compromissos sacerdotais e o povo professam o compromisso de rezar por seu pastor, por isso esta celebração também é chamada de Missa da Unidade da Igreja.

No momento também são abençoados os Óleos Santos dos Catecúmenos e dos Enfermos e é consagrado o Óleo do Santo Crisma, esses óleos serão utilizados em todas as paróquias durante o ano litúrgico para os sacramentos do Batismo, Crisma, Ordem e Unção dos Enfermos.

  • Missa da Ceia do Senhor – A missa será celebrada em todas as paróquias de acordo com horário próprio. Na Catedral Metropolitana a celebração será às 18h, presidida pelo Dom Alberto, com transmissão ao vivo pela TV Nazaré e Redes Sociais. já Dom Antônio, presidirá na Comunidade Cristo Amigo, às 18h30.

Nesta celebração relembram-se três acontecimentos muito importantes: a instituição da Eucaristia, a instituição do Sacerdócio Ministerial e o Mandamento do Amor, chama-se de Tríduo pascal. Jesus Cristo em sua última Ceia, na noite em que foi traído, ofereceu a Deus Pai o seu Corpo e Sangue sob as espécies de pão e de vinho (Instituição da Eucaristia) e as deu aos apóstolos como alimento e mandou aos seus sucessores no sacerdócio fazerem disso a oferta, dizendo “Fazei isso em memória de mim” (Instituição do Sacerdócio Ministerial).

Sexta-feira Santa (02/04)

  • Sermão das Sete Palavras – Esta é a 142ª edição, este ano com a pregação do Cônego Roberto Emilio Cavalli Júnior, Cura da Catedral e Vigário Episcopal da Região Sant’Ana. Como de costume, será às 12h, na Capela Santo Antônio, com transmissão ao vivo pela TV Nazaré e Redes Sociais. Não terá a participação dos fiéis.

O Sermão é composto pela meditação das Sete Últimas Palavras proferidas por Jesus Cristo, quando suspenso no madeiro da Cruz, em suas “Três Horas da Agonia”.

  • Litúrgica da Paixão do Senhor – A celebração será às 17h, na catedralpresidida pelo Arcebispo de Belém, Dom Alberto, com transmissão ao vivo pela TV Nazaré e Redes Sociais. Nas paróquias será feita pelos padres e vigários de acordo com programação própria.

A Ação Litúrgica relembra o momento incomensurável da morte de Cristo no Calvário. A cruz, erguida sobre o mundo, segue de pé como sinal de salvação e esperança. Com a Paixão de Jesus, segundo o Evangelho de João, contemplamos o mistério do Crucificado, com o coração do discípulo Amado, da Mãe, do soldado que o transpassou o lado. Há um ato simbólico muito expressivo e próprio deste dia: a veneração da Santa Cruz, momento em que esta é apresentada solenemente à comunidade.

No sábado (03/04)

  • Vigília Pascal  A celebração ocorrerá em todas as paróquias com programação própria. Na Catedral de Belém ocorrerá às 18h30, com transmissão ao vivo pela TV Nazaré e Redes Sociais, presidida pelo Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa. Já o Bispo Auxiliar, Dom Antônio de Assis Ribeiro, presidirá às 18h, na Comunidade Sagrado Coração.

Vigília é o “estado de quem se conserva desperto durante a noite”. Para a Igreja este significado de Vigília complementa-se no sentido especial aos católicos. Pois, a Vigília das Vigílias é celebrada no Sábado Santo, chamado também de Vigília Pascal, momento que antecede o domingo da Ressurreição de Jesus.

Domingo de Páscoa (04/04)

  • Missa de Páscoa – haverá missa em todas as paróquias da Arquidiocese de Belém com programação própria, com a participação dos fiéis. Dom Alberto celebrará às 11h na Fazenda da Esperança e, às 18h, na Paróquia de Santa Bárbara. Já Dom Antônio conduz às 8h30, Comunidade Bom Pastor e às 18h na Comunidade Auxiliadora da Área Missionária do Canaã.

A Páscoa é o dia santo mais importante da religião cristã. Depois de morrer crucificado, o corpo de Jesus foi sepultado, ali permaneceu até a ressurreição, quando seu espírito e seu corpo foram reunificados. Do hebreu “Peseach”, Páscoa significa a passagem da escravidão para a liberdade.

Receba as últimas notícias