A Arquidiocese de Belém do Pará torna pública, assim como em anos anteriores, a lista de Provisões de 2018 da Arquidiocese. Até o momento são previstas 24 transferências entre párocos, vigários e administrador em diversas paróquias da Arquidiocese, podendo, de acordo com entendimento do Conselho Presbiteral, haver flexibilização na quantidade de transferências ao longo do ano. Antes de dissertar a lista de transferências, é importante entender como se dá o processo de transferências. As transições de padres entre paróquias e funções são uma praxe comum na Igreja. Na Arquidiocese de Belém, bem como muitas dioceses do Brasil, as transferências acontecem todos os anos, especialmente no final de um ano civil e no início de outro.

TRANSFERÊNCIAS DE PADRES ENTRE PARÓQUIAS E FUNÇÕES

As transferências podem acontecer pelos mais variados motivos, uma vez que a dinâmica da vida da Igreja Católica e as necessidades pastorais exigem sempre novas decisões e, também, mudanças e transferências, estas decisões não são um ato arbitrário e autoritário que recai e pesa sobre a pessoa de nosso Arcebispo. As decisões e transferências são pensadas e construídas num conselho formado pelos bispos e padres, Conselho Presbiteral, demandam longas conversas e, às vezes, várias reuniões. Porém é importante elencar que as transferências de padres fazem parte da autoridade episcopal, é o múnus (fundamentação legal) do qual ele é revestido através do sacramento da Ordem no grau do episcopado, pela autoridade do Papa e da Igreja, mas também por sua paternidade espiritual. As leis da própria Igreja esclarecem sobre o porquê das transferências de padres numa diocese: o Código de Direito Canônico determina que “se o bem das almas ou a necessidade ou utilidade da Igreja já exigirem que o pároco seja transferido de sua paróquia, que dirige com eficiência, para outra paróquia ou outro ofício, o bispo proponha-lhe a transferência por escrito e o aconselhe a consentir, por amor a Deus e das almas”, como está especificado em cânon 1748 do Código de Direito Canônico. Segundo as leis da Igreja, as transferências podem ser voluntárias ou por obediência, isto é, com o consentimento do sacerdote ou pelo voto de obediência ao bispo da igreja e seus sucessores, juramento proferido durante o ato de sua ordenação.

OS FRUTOS DAS RENOVAÇÕES

As transferências sempre são oportunidade de renovação para os próprios sacerdotes, mas também para as comunidades paroquiais, exigindo por vezes um espírito de sacrifício e obediência. É o Senhor, que por intermédio do Espírito Santo indica este caminho, iluminando e abençoando os irmãos na nova missão que lhes é confiada. “O Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda a verdade, porque não falará por si mesmo, mas dirá o que ouvir” (Cf. Jo 16, 13). Outro motivo que leva o sacerdote a acolher com amor a nova missão é o “desapego”, e isso é humano e bom, embora criam-se amizades fortes e importantes durante o tempo, curto ou longo, de permanência na paróquia, mas não se pode esquecer que o padre não é “seu” ou “nosso”, mas é da Igreja, da Arquidiocese e colaborador dos bispos. Isso não é arbitrário, é da natureza da vocação sacerdotal e episcopal. O Direito Canônico fala de uma estabilidade ao pároco (seis anos e mais seis), mas isso não significa que não possa sair antes disso. Neste período, podem aparecer outras necessidades ou situações que leva o Conselho Presbiteral a repensar a presença dele ali. Os motivos não precisam ser trazidos à baila. São situações que ficam guardados no coração dos Bispos. Os sacerdotes transferidos, o Arcebispo, os bispos auxiliares e ou Conselho, não precisam expor as pessoas. Nem apresentar motivos para explicar o porquê das transferências. Não é necessário dar os motivos. Basta tê-los. A justificativa de o padre ser bom e querido, ter pouco tempo ali, ter feito bons trabalhos, tudo isso é louvável, mas os critérios para as transferências deles são mais abrangentes. A vida paroquial é um leque de responsabilidades, competências e interlocuções. Ninguém é bom em tudo. Daí a necessidade de se avaliar a permanência ou não por critérios que ultrapassam o afetivo e o prático. A vida paroquial, sobretudo para os que estão sozinhos numa paróquia, sem vigários, exige múltipla atenção e variada atuação por parte do pároco. Aprender isso é um caminho. Nem sempre feito no lugar onde o padre se encontra no momento, ou seja, as constantes transferências sempre trazem novos conhecimentos aos sacerdotes e novas experiências para as paróquias. A mudança sempre traz o bem a todos, ao padre e à comunidade. Isso abre horizontes para o repensar das relações, modos de servir e processos novos. Ninguém goza de estabilidade indefinida, nem os bispos. Essa consciência ajuda o clero a rever muitas posturas, manias e relações. Se um determinado sacerdote é dotado de muitas qualidades e competências a ponto de trazer grandes alegrias e avanços a uma comunidade, ele não pode ser possuído por esta comunidade como um “bem inalienável”. Outros lugares precisam dele e dos seus dons. Ele pode ser o pastor que a comunidade vizinha precisa em vista de suas demandas pastorais, espirituais, administrativas, humanas.

PROVISÕES 2018

As novas missões a serem exercidas pelos sacerdotes serão as de párocos, vigários paroquiais e administrador paroquial. Os primeiros a tomaram posse foram o Padre Bruno Sechi, como primeiro Pároco da Paróquia de São João Paulo II, no bairro de Souza, e o Padre Igino Sala, que renovou a função como Vigário Paróquia, no dia 13 de janeiro, com Missa celebrada pelo Arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa. As próximas mudanças ocorrerão a partir do próximo dia 04 de fevereiro, e serão celebradas pelo Arcebispo, Dom Alberto Taveira Corrêa e seus Bispos Auxiliares Dom Irineu Roman e Dom Antônio de Assis Ribeiro.

CONFIA A LISTA COM NOVAS MISSÕES ASSUMIDAS PELOS SACERDOTES:

DATA E HORA SACERDOTE E POSSE CELEBRANTE
13 de janeiro

18h

Padre Bruno Sechi – Pároco da Paróquia de São João Paulo II Dom Alberto Taveira Corrêa
Padre Igino Sala, SX – Vigário Paroquial da Paróquia São João Paulo II
04 de fevereiro

10h

Padre Antônio Cézar Augusto de Souza – Pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição do Outeiro Dom Alberto Taveira Corrêa
04 de fevereiro

19h

Padre Maurício Dias do Mar – Pároco da Paróquia de Santo Antônio do Tucunduba Dom Antônio de Assis Ribeiro
10 de fevereiro

19h

Cônego Sebastião Fialho de Freitas – Pároco da Paróquia de São José – Belém Dom Irineu Roman
10 de fevereiro

12h

Cônego Antônio Beltrão Ribeiro Filho – Reitor da Igreja de Nossa Senhora das Mercês – Belém Dom Irineu Roman
16 de fevereiro

19h

Padre Hélio Fronczak – Pároco da Paróquia de Nossa Senhora do Carmo de Benevides Dom Alberto Taveira Corrêa
Padre Andréas Albertus Cornelis Heijligers – Vigário Paroquial da Paróquia de Nossa Senhora do Carmo de Benevides
18 de fevereiro

17h

INSTALAÇÃO DA PARÓQUIA E POSSE

Padre Levi Joaquim de Oliveira – Pároco da Paróquia do Santíssimo Redentor

Dom Alberto Taveira Corrêa
18 de fevereiro

19h

Padre Cleiton Marcos da Silva Liker – Administrador Paroquial da Paróquia de São Pio X Dom Antônio de Assis Ribeiro
Cônego Vladian Silva Alves – Vigário Paroquial da Paróquia de São Pio X
Padre Lindomar da Silva Pinheiro – Vigário Paroquial da Paróquia de São Pio X
Cônego Jayme de Moura Pereira – Vigário Paroquial da Paróquia de São Pio X
24 de fevereiro

19h

Padre Amadeu Alves Linhares Neto – Pároco da Paróquia de São Lucas Evangelista Dom Alberto Taveira Corrêa
Padre José Edmundo da Silva Santiago – Vigário Paroquial da Paróquia de São Lucas Evangelista
25 de fevereiro

08h

Padre Raimundo Ribeiro Martins – Pároco da Paróquia de São Jorge Dom Alberto Taveira Corrêa
25 de fevereiro

19h

INSTALAÇÃO DA PARÓQUIA E POSSE

Padre Valdinei de Lima Silva – Pároco da Paróquia de São José de Anchieta – Conjunto Maguari

Dom Alberto Taveira Corrêa
Padre Antônio Luís Farias de Oliveira – Vigário Paroquial da Paróquia de São José de Anchieta – Conjunto Maguari
25 de fevereiro

19h

Padre Luiz Nelci Nazzari – Pároco da Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré de Marituba Dom Irineu Roman
A definir Padre Ailton Melo Teixeira – Vigário Paroquial da Paróquia da Santíssima Trindade A definir
A definir Padre Carlos Augusto Azevedo da Silva – Vigário Paroquial da Paróquia de Nossa Senhora do Ó A definir
A definir Padre Hellyson Wagner Amaral de Lima – Vigário Paroquial de Nossa Senhora de Fátima – Belém A definir
A definir Padre Glaucon de Oliveira Feitosa – Vigário Paroquial da Paróquia de São João Batista e Nossa Senhora das Graças A definir
A definir Padre Hirlan da Silva Figueiredo – Vigário Paroquial da Paróquia de Santa Paula Frassinetti A definir

 

*Contribuição textual de Dom José Carlos