Brasão Arquidiocese

BRASÃO DE ARMAS DA ARQUIDIOCESE

O Brasão de Armas da Arquidiocese de Belém do Pará foi criado em 20 de maio de 2008, no período da novena em  preparação para os 400 anos de Evangelização da Igreja na Amazônia pelo então Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Orani João Tempesta.

SIMBOLISMO

O escudo traz dois campos: O azul é o plano espiritual-transcendental e o campo vermelho é falante temporária, ambos do Projeto Divino. A ligação dos dois planos é feita com a presença de Maria representada pela flor-de-lis, que concebeu, sem pecado, em Belém, seu filho unigênito, o Cristo, retratado na Cruz.

O símbolo da Concepção de Nossa Senhora de Belém está no berço pobre onde Jesus nasceu. O patrocinador deste mistério é o Espírito Santo, simbolizado na sua alegoria litúrgica, sobre à Cruz. A estrela com cauda é o aviso do nascimento de Cristo concebido por sua Mãe Santíssima, Nossa Senhora de Belém de Judá, Padroeira desta Arquidiocese, e ambos deixam cair sob forma de rosas heráldicas, as graças da Salvação das Almas, para o melhor serviço de Deus e da sua Igreja Imortal.

DESCRIÇÃO HERÁLDICA

Escudo: Cortado; primeiro campo de azul e o segundo campo de vermelho. Sobre o campo vermelho, uma flor-de-lis de ouro cuja pétala central se projeta para cima, em forma de Cruz, do mesmo metal.

No campo azul a haste da Cruz se sobrepõe a uma estrela dourada, de seis pontas, com cauda. Em chefe, encimando a Cruz, uma alegoria do Espírito Santo, também de ouro. Sobre a linha divisória dos campos, franqueando o eixo do escudo, uma rosa heráldica de cada lado, ambas de prata, no contra-cheque abaixo da flor-de-lis, um berço do mesmo metal.

Insígnias: Mitra dourada, forrada de vermelho e do interior da mitra saem dois fitões dourados e forrados de vermelho. A fronte da Mitra é ladeada por duas cruzetas de prata; uma Cruz Patriarcal posta em banda e de ouro; um Báculo de ouro posto em barra e um pálio.