A Arquidiocese de Belém aderiu a uma Campanha pelas vocações que se espalha pelo Brasil inteiro e outras partes do mundo, como uma ação evangelizadora, fundamentada no Evangelho, no qual o Senhor afirmou com ousadia, suscitando nossa participação em assunto de grande importância: “Pedi ao Senhor da messe que envie operários para a sua messe” (Mt 9,38). Desejamos fortalecer a cultura vocacional na Igreja, para despertar as mais variadas vocações e criar um ambiente positivo nas comunidades, no que se refere às vocações, apoiar e sustentar espiritualmente aos que já responderam ao chamado. Anima-nos uma palavra forte do Papa Francisco: “Jesus nos disse que o primeiro método para obter vocações é a oração, e nem todos estão convencidos disso” (Discurso à Pastoral Vocacional da Conferência Episcopal Italiana, no dia 5 de janeiro de 2017).

Constatamos que há um péssimo costume de falar mal do padre, e isso contagia negativamente os ambientes eclesiais. Queremos primeiro motivar as pessoas a falar bem dos Bispos, dos Padres e das Pessoas Consagradas, pois são escolhidos e chamados pelo próprio Deus. Trata-se de reconhecer a graça de Deus que opera em nosso meio, quando chama pessoas muito parecidas conosco, com mais qualidades do que defeitos, prontas a dar a sua vida pelo Reino de Deus. Queremos que as comunidades se tornem responsáveis pelas vocações, rezando intensamente, pois a vocação é a resposta de Deus a uma comunidade orante.

As vocações existem em todas as comunidades, pois Deus não abandona o seu povo. O que falta, muitas vezes é o cuidado com as sementes plantadas pelo Senhor. O despertar de uma vocação muitas vezes acontece por um convite. Deus tem me dado a graça de chamar diretamente ao serviço da Igreja, no Sacerdócio, como Missionário, ou a vocação de catequista, à Vida Religiosa, às Novas Comunidades, a muitas pessoas, crianças, adolescentes, jovens e adultos. E encontro depois muitos que foram tocados justamente pelo convite direto e ousado, inspirado pelo Senhor. E posso pensar no grande número de homens adultos que já são hoje excelentes Diáconos Permanentes! Daí o apelo a que todos se sintam corajosos e se deixem conduzir, para convidar ao serviço da Igreja.

O chamado de Deus acontece também através do testemunho de vida. Olhando para o Altar da Santa Missa, ou constatando a experiência de pessoas dedicadas à Igreja, ou ouvindo uma pregação na qual alguém teve a coragem de falar “em primeira pessoa”, contando como Deus entrou em sua vida, nasce o desejo de ser parecido com bons sacerdotes ou religiosas! E o que dizer das Comunidades vivas e atuantes, nas quais os jovens, de modo especial, encontram o clima adequado para responder ao chamado de Deus? São terreno fértil para a graça do Senhor atuar.

Desejamos que cada comunidade, dentro de nossas Paróquias, seja também o espaço para vocações autênticas também para a família. O matrimônio não é um acaso, mas resultado de um apelo da graça de Deus. Quantos testemunhos fortes de casais santos podem gerar matrimônios santos, fiéis e fecundos, como nosso mundo precisa! É que precisamos também de uma “pastoral vocacional para o matrimônio”.

E agora, mãos à obra! O primeiro passo é falar bem dos padres e das pessoas consagradas, que são escolhidas e chamadas pelo próprio Deus, assim como falar bem da família e do matrimônio, de acordo com o plano de Deus. Respeito profundo pelo chamado do Senhor. E as famílias podem ajudar, valorizando as crianças, adolescentes e jovens que contam aos pais o surgimento da semente da vocação.

Rezar pelas vocações. Todos os eventos de Igreja, reuniões de Pastorais, Movimentos e Serviços incluam a oração de uma dezena do Rosário pelas vocações, em sua abertura ou conclusão. Todas as Missas e outras celebrações, antes da Bênção final, rezem as dez Ave-Marias pelas vocações. Pedimos aos Diáconos Permanentes, aos Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística, ao Apostolado da Oração e ao Terço dos Homens que sejam os guardiães da oração por todas as vocações. Um mistério do Rosário em cada encontro ou celebração!

Catequistas e Catequizandos! Arranjem uma imagem de Nossa Senhora de Nazaré ou outro título de Maria e entreguem a cada semana a um (a) catequizando (a), para que reze com sua família pelas vocações. No encontro seguinte, podem partilhar o que fizeram.

Os jovens, em seus Movimentos e Grupos, são convidados a preparar e ajudar a divulgar vídeos com testemunhos vocacionais a serem postados nas redes sociais. Nossos jovens são desafiados a produzi-los com criatividade, divulgando as experiências vocacionais. Nossa Assessoria de Comunicação e os Meios de Comunicação da Fundação Nazaré divulgarão os testemunhos vocacionais que serão enviados pelos nossos jovens.

Outro passo importante é convidar crianças, adolescentes e jovens a oferecerem a vida a Deus: “Você já pensou em ser Padre? Em ser Religiosa? em ser Catequista?”.

Fazemos nosso o apelo do Documento de Aparecida (D.A 314): “É necessário intensificar de diversas maneiras a oração pelas vocações, com as quais também se contribui para criar uma maior sensibilidade e receptividade diante do chamado do Senhor; assim como promover e coordenar diversas iniciativas vocacionais. As vocações são dom de Deus, portanto, em cada diocese, não devem faltar orações especiais ao ‘Dono da messe’”.

Presidente da Fundação Nazaré de Comunicação, também é apresentador de programas na TV e Rádio e articulista de diversos meios impressos e on-line, autor da publicação anual do Retiro Popular.

Enquanto Padre exerceu seu ministério na Arquidiocese de Belo Horizonte – MG: Reitor do Seminário, Professor da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Pároco em várias Paróquias, Vigário Forâneo, Vigário Episcopal para a Pastoral e Capelão de Hospital.

Foi Bispo Auxiliar de Brasília, membro da Comissão Episcopal de Vocações e Ministérios do Conselho Episcopal Latino – Americano – CELAM. Tomou posse como primeiro Arcebispo Metropolitano de Palmas – TO. Atualmente o 10º Arcebispo Metropolitano de Belém.

Dom Alberto Taveira Corrêa

Arcebispo Metropolitano de Belém