Com alegria queremos comunicar a todos os senhores párocos, agentes de pastorais, religiosos(as) e lideranças comunitárias que a Arquidiocese de Belém do Pará tem um projeto educativo-pastoral para o Setor Juventude. O mesmo, em breve, será colocado nas mãos dos nossos párocos, jovens animadores e lideranças pastorais em geral.

E qual é a sua origem? Ele é fruto de um sério esforço conjunto de escuta, avaliação, reflexão sobre os nossos desafios pastorais no campo juvenil, estudo em grupo, discernimento conjunto e tomada de decisões em assembleia. Portanto, trata-se de um documento que vem das bases da pastoral juvenil, mas alicerçado nos grandes princípios norteadores da proposta pastoral da CNBB para o Setor Juventude.

Esse projeto, por sua história, é um sinal evidente do protagonismo juvenil de muitas lideranças das mais variadas expressões juvenis que, durante três meses, em seis reuniões e uma grande assembleia com 114 lideranças definiu essa agenda de compromissos para o Setor Juventude para os próximos anos. Após o Sínodo de 2019, haverá uma avaliação, revisão e reelaboração do mesmo.

A necessidade de um projeto se justifica pela seriedade da missão da Igreja diante dos jovens. O desafio de “evangelizar educando e educar evangelizando” não pode ser encarado simplesmente pela boa vontade. Por outro lado, a vulnerabilidade das circunstâncias exige de todos os evangelizadores e educadores o firme propósito de não perderem o foco. O projeto ajuda!

 

Por que “educativo-pastoral”?

Evangelização e educação é um binômio (dois nomes, duas palavras) inseparáveis para a ação pastoral da Igreja Católica, sobretudo, em relação ao serviço pastoral com crianças, adolescentes e jovens. São pessoas em processo de desenvolvimento!

Esse duplo compromisso deriva da própria missão da Igreja que existe para evangelizar e promover a dignidade humana. Não há verdadeira evangelização onde não se leva em conta a promoção integral da pessoa humana.

Educar evangelizando e evangelizar educando é uma síntese da promoção integral da pessoa humana que envolve a totalidade da sua realidade visível e invisível, necessária para o presente e para o futuro, importante para o mundo e condição para a perspectiva celeste, evidente comunhão entre Fé e Razão. A fé nos educa e a educação integral estimula a fé, ou seja, a abertura do ser humano à transcendência.

 

O projeto é uma carta de intenções

O projeto significa um olhar erguido para o futuro; quer manifestar a nossa seriedade pastoral diante dos desafios da evangelização dos jovens. Porque a missão evangelizadora é séria, então devemos projetá-la, programá-la e animá-la com alegria e zelo. O projeto educativo-pastoral do Setor Juventude é uma grande e ousada “Carta de Intenções”, ou “Projeto de Navegação Pastoral” que tem como finalidade contribuir para a promoção da solidez, seriedade e organicidade da gestão pastoral do Setor Juventude na Arquidiocese de Belém. A meta de tudo é a evangelização da Juventude: o despertar da Fé e o crescimento segundo a medida de Jesus Cristo homem perfeito.

 

Uma resposta aos desafios sócio-pastorais

O referido projeto quer ser uma resposta eclesial à delicada situação infanto-juvenil da região metropolitana de Belém profundamente marcada pela violência juvenil, consumo de entorpecentes, homicídios, gravidez precoce e mau uso do tempo livre. Há, por outro lado, muitos jovens afastados da Igreja e que precisam retomar a vida eclesial se forem estimulados por outros jovens.

Segundo o mapa da violência e criminalidade (2016) houve nos últimos anos em todo o território nacional um grave aumento da criminalidade juvenil, culminando com um elevado número de homicídios. O mapa nacional da violência apresenta os 30 municípios mais violentos do Brasil, com população acima de 100 mil habitantes. Infelizmente, quatro desses municípios são do Estado do Pará e dois deles estão na região metropolitana de Belém, a saber, Ananindeua e Marituba.

Diante dessa realidade não podemos ficar parados. Como juventude católica organizada queremos dar a nossa contribuição para a redução dessa grave situação. A maioria dos homicídios acontece nos finais de semana, nas periferias e tem como vítimas jovens de 18-29 anos, envolvidos no tráfico de drogas, desempregados e pobres.

Enfim, desejoso de caminhar em comunhão com a Arquidiocese de Belém, já estão inseridos nesse projeto os eixos fundamentais decididos na IX Assembleia Arquidiocesana de Pastoral, a saber: a missionariedade, a pastoral de conjunto (comunhão), a formação, a espiritualidade, o serviço profético da caridade e a comunicação. Inserimos também nesse projeto o compromisso com a sustentabilidade financeira das nossas ações pastorais para que tenhamos os meios necessários para a digna promoção das nossas atividades pastorais.

 

Objetivo geral e específicos

O projeto tem como objetivo geral contribuir para consolidar o protagonismo juvenil na evangelização e promoção humana das Juventudes da Arquidiocese de Belém em comunhão na diversidade dos carismas em vista da promoção do Reino de Deus. Para alcançar esse objetivo, o setor juventude abraça os seguintes compromissos específicos.

– Estimular a consciência da necessidade da Comunhão na ação pastoral entre as diversas expressões juvenis;

– Promover de modo orgânico o dinamismo da missionariedade do setor juventude;

– Fomentar a importância da articulação entre os diversos carismas nas paróquias e regiões episcopais;

– Promover o sentido e a necessidade da espiritualidade nos diversos atores da promoção da pastoral juvenil;

– Incentivar o testemunho profético dos jovens através do serviço da Caridade;

– Favorecer um contínuo processo de comunicação, articulação e intercâmbio de experiências e valores através do espaço do Setor Juventude;

– Estimular a adoção de estratégias de captação de recursos financeiros e técnicos em vista da autossustentabilidade dos compromissos do Setor Juventude;

– Garantir a promoção de processos de educação à fé da juventude católica

 

OS SUJEITOS PASTORAIS E O DESAFIO DA AUTOSSUSTENTABILIDADE

A necessária atenção aos jovens

Estamos apresentando o Projeto Educativo-Pastoral do Setor Juventude da Arquidiocese de Belém. É muito importante que você sacerdote, diácono, religioso (as), lideranças pastorais, educadores católicos e jovens líderes o conheçam.

Por se tratar de um projeto pastoral oficial, que vai ao encontro de uma parcela específica do povo de Deus, ou seja, os jovens, como resposta aos desafios e compromissos sócio-pastorais, deve ser levado a sério, acolhido e colocado em prática.

Quando uma paróquia, liderada pelo pároco e coadjuvada por outros líderes, não leva em conta as decisões da Igreja e suas orientações pastorais, peca gravemente contra a vida eclesial. Isso ocasiona o isolamento, gera perda da catolicidade, enfraquece a missão comum e corrói a comunhão. Não somos protestantes!

A Igreja Católica quer em 2018 dar uma especial atenção aos jovens em todo o mundo. Somos convocados a acompanhar os trabalhos do Sínodo sobre os jovens, seguindo seu processo de preparação com leituras e orações.

A Arquidiocese de Belém, através da organização do Setor Juventude promovendo a pastoral juvenil, quer dar a sua resposta aos clamores juvenis que nos cercam. Eles estão presentes em todas as nossas cidades, paróquias e comunidades. Somos convocados, portanto, a renovar em 2018 a nossa atenção aos jovens. Todavia, não se trata de um projeto ocasional.

Os promotores do Setor Juventude

Para qualquer ação pastoral seja desenvolvida é preciso que haja um ou mais sujeitos. Quem são os promotores e animadores do Projeto do Setor Juventude? É uma pergunta muito importante! Antes de tudo, é a Igreja! Ou seja, todos!

Nenhuma categoria de pessoas na Igreja pode ser delegada aos cuidados pastorais de um grupo. A missão da Igreja é uma responsabilidade transversal, que perpassa e compromete todos os sujeitos eclesiais, todavia, nem todos eles participam da Igreja na mesma condição. Há diversas atividades e modos de participação nelas. Por exemplo, para todas as ações eclesiais a oração é bem-vinda!

Todos nas comunidades devem se sentir responsáveis pela acolhida aos jovens, dar-lhes atenção, orientá-los, fazer-lhes propostas de engajamento. Não haverá evangelização, se antes, não houver acolhida das pessoas! Mas também é importante não esperar, mas ir ao encontro delas!

Para a promoção do serviço de evangelização das juventudes, contamos com um grande elenco de sujeitos, tais como: os bispos, os párocos, os vigários, os sacerdotes colaboradores das comunidades, os catequistas, os coordenadores das comunidades, os conselhos, as Congregações Religiosas, os Movimentos Eclesiais, as diversas pastorais, as Novas Comunidades, as lideranças juvenis etc.

Portanto, apesar de falarmos de “jovens e evangelizando jovens”, na verdade, todos os sujeitos de uma comunidade devem dar especial atenção e carinho a todos!

Uma diversidade de atividades possíveis

O projeto Pastoral do Setor Juventude será traduzido numa grande diversidade de atividades pastorais a serem desenvolvidas em diversos níveis: grupos, expressões juvenis, nas comunidades, nas paróquias, nas regiões episcopais e em nível de arquidiocese.

Elencamos a seguir algumas dessas atividades: reuniões, encontros, assembleias, momentos de oração, celebrações eucarísticas, retiros, cursos, passeios, acampamentos, atividades lúdicas, jornadas missionárias, treinamentos, celebração dos sacramentos, mutirões, campanhas, acompanhamento espiritual, simpósios, congressos, celebrações da Palavra, Leitura Orante da Bíblica, festas, shows, adoração, palestras, estudos, convivências, debates, programação de atividades, avaliação etc.

Tantas outras atividades serão promovidas de acordo com os contextos e a sensibilidades das expressões juvenis. Cada carisma tem liberdade para organizar qualquer atividade educativo-pastoral em prol da evangelização dos jovens.

Todavia, é muito importante que sejam respeitadas as datas nas quais estão programados eventos em nível arquidiocesano. Para esses eventos, todas as expressões juvenis, em todos os níveis organizativos, devem participar. Evite-se atividades paralelas!

A sustentabilidade econômica do Setor Juventude

A pastoral tem uma dimensão econômica! Isso deve ser levado a sério! Quando queremos promover algo precisamos também pensar nos recursos financeiros, materiais e técnicos. Tudo tem um custo. Nada cai do céu de graça!  Não basta sonhar, é preciso organizar-se estrategicamente.

Por isso, para que o Projeto Educativo-Pastoral do Setor juventude não se torne uma montanha de ideias sem efeitos, estimulamos que as diversas expressões juvenis contem com um plano financeiro visando a autossustentabilidade das ações pastorais a serem implementadas. Ou seja, os jovens deverão ser estimulados e educados para que não sejam dependentes, assumindo uma postura passiva diante das necessidades pastorais. Isso também faz parte do protagonismo juvenil.

Uma pastoral com dinamismo empreendedor vence com facilidade os obstáculos econômicos. A famosa “caixinha” dos jovens, portanto, deverá ser implementada por eles mesmos.

Já está constatado pelo mundo afora, que onde não há recursos econômicos disponíveis também não há dinamismo pastoral. Por outro lado, desculpe-me a franqueza, “quem detém a chave do sacrário, em geral, não disponibiliza da chave do cofre”!

A perspectiva da autossustentabilidade da pastoral juvenil visa sensibilizar, animar e educar os jovens para o compromisso com a dimensão econômica na promoção da evangelização. Quando a corresponsabilidade econômica é promovida se estimula a captação de recursos através de muitas formas. Entram nesta dimensão a busca de parcerias e patrocínios.

ALGUNS COMPROMISSOS IMPORTANTES!

Eixos fundamentais

Estamos apresentando o Projeto Educativo-Pastoral do Setor Juventude da Arquidiocese de Belém. Como já afirmamos nas reflexões anteriores, trata-se de uma humilde resposta eclesial aos problemas pelas quais passam a juventude na zona metropolitana: vazio existencial, criminalidade, violência, alto índice de homicídio, gravidez precoce, prostituição, drogadição, dispersão, indiferença religiosa etc.

O projeto também quer alimentar, reforçar e animar a todos os jovens que vivem dignamente: que já são animados pela fé, estão bem engajadas em suas comunidades, são animadores de outros jovens, vivem comprometidos com a promoção do Reino de Deus e sentem-se engajados em boas lutas na sociedade; todos são destinatários do mesmo projeto.

O projeto já se encontra alinhado com os eixos fundamentais decididos na Assembleia Pastoral da Arquidiocese de Belém na última Assembleia Pastoral, a saber:missionariedade, comunhão, formação, espiritualidade, serviço profético da caridade e comunicação. Acrescentamos também nesse projeto da pastoral juvenil o desafio da sustentabilidade econômica.

Eixos e Linhas de ação

A seguir apresentamos cada um desses eixos e algumas das suas principais linhas de ação ou compromissos assumidos na Assembleia da Juventude e aprovados pelos bispos.

Para cada linha de ação há uma diversidade de estratégias adotadas, mas não convém apresentá-las aqui. Cada um desses compromissos deverá ser assumido pelos jovens organizados em todas as estruturas eclesiais, sejam elas paroquiais e da vida consagrada.

Enfim, vale a pena observar, que as propostas presentes no projeto do Setor Juventude não suprime a liberdade das várias organizações de carismas ou expressões juvenis. Todavia, atenção, também não consente com a indiferençainsistindo numa dinâmica pastoral paralelamente ao que apresenta a Arquidiocese. Somos Igreja Católica e devemos estar em comunhão! O paralelismo pastoral foi uma das mais doloridas chagas acusadas na Assembleia Pastoral. Então vamos superá-las.

MISSIONARIEDADE:

– Consolidar o setor juventude dentro da Igreja de Belém como uma instância juvenil unida e articulada;

– Suscitar novos grupos da pastoral juvenil e a presença de jovens nos tradicionais movimentos e associações;

– Desenvolver nas expressões um processo de animação missionária juvenil nas áreas periféricas e ilhas de nossa Arquidiocese;

– Organizar e promover a experiência das Santas Missões Populares Juvenis.

COMUNHÃO:

– Promover entre as diversas expressões juvenis a integração através do esporte e atividades lúdicas;

– Garantir como setor juventude uma experiência juvenil evangelizadora efetiva no Círio de Nazaré;

– Impulsionar momentos de comunhão eclesial entre comunidades, paróquias e regiões episcopais;

– Assegurar que o setor juventude esteja em comunhão com as orientações da Igreja Católica para o mundo juvenil;

FORMAÇÃO:

– Proporcionar experiências de formação integral com os jovens das expressões abordando temáticas de interesse juvenil;

– Promover a formação de novas lideranças juvenis em cursos específicos em nível de extensão universitária pela Faculdade Católica de Belém;

ESPIRITUALIDADE:

– Propiciar aos jovens a experiência formativa que favorece para o crescimento como discípulos de Jesus Cristo;

– Aprofundar o conhecimento da figura de Maria e do sentido da devoção mariana;

– Possibilitar experiências de encontro, conhecimento e intimidade espiritual com a pessoa de Jesus Cristo;

SERVIÇO PROFÉTICO DA CARIDADE

– Estimular ações sociais, artísticas, e esportivas com jovens nas periferias;

– Criar parceria com a Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM);

– Favorecer a experiência do voluntariado social;

– Articular um grupo juvenil de reflexão ecumênica;

– Alimentar a participação do setor juventude no âmbito político e social da juventude na garantia dos direitos humanos e políticas públicas;

COMUNICAÇÃO

– Explorar o uso das mídias sociais em vista da evangelização da juventude;

– Fazer-se presente, como setor juventude, nos ambientes virtuais;

– Adquirir um “trio elétrico” destinado ao serviço de evangelização do Setor Juventude, das Novas Comunidades e das Paróquias.

SUSTENTABILIDADE:

– Animar a conscientização da necessidade da autossustentabilidade do Setor Juventude;

– Promover o estudo de noções de administração, elaboração de projetos e gestão de eventos.

 

Natural de Capitão Poço (PA) foi ordenado sacerdote na cidade de Ourém, também no Pará. Salesiano formador, professor, mestre. Trabalhou boa parte de seu presbiterado no Amazonas. Hoje desenvolve trabalhos com a juventude, é auxiliar bispo de Belém, articulista e comunicador.

Foi conselheiro Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Belém-PA), diretor da Missão Salesiana de Yauaretê (AM), diretor do Colégio Dom Bosco e do Centro Juvenil Salesiano. Também esteve membro do Conselho Editorial da Revista de Pastoral da ANEC e membro do Comitê REPAM.

Atuou como Vice-Provincial da Inspetoria Salesiana Missionária da Amazônia, delegado provincial para a Pastoral Juvenil Salesiana e vocacional. Atualmente é Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém.

Dom Antônio de Assis Ribeiro

Bispo Auxiliar de Belém